Blog, Dicas, Inspiração, Planejamento › 21/02/2017
Pet no casamento – Como cuidar do bicho de estimação
112 Views

Seu bichinho de estimação é parte da família e ele também deve fazer parte do seu casamento, mas o pet precisa de cuidados especiais para aproveitar a celebração da melhor forma.

Veja algumas dicas para ter seu melhor amigo com você no casamento.

Amigo que é amigo de verdade participa de todos os momentos da vida, certo? Pensando assim, faz muito sentido incluir o pet na cerimônia. O bichinho de estimação pode ter a honrada tarefa de levar as alianças aos noivos, causando surpresa e comoção nos convidados, por exemplo.
Para que o animal participe tranquilamente, seja ele cachorro, cavalo ou mini porco, é preciso tomar certos cuidados antes e durante a festa. Preparamos um guia com dicas para que o bichinho faça parte do evento sem estressá-lo.

 

Como preparar o bichinho

Se você decidiu incluir algum bichinho na cerimônia, é preciso também pensar na programação de preparativos. Isso inclui verificar, antes de tudo, se a igreja, salão ou fazenda onde a cerimônia acontecerá aceita a presença de animais. Vale lembrar que poucas igrejas aceitam animais, mas geralmente as igrejas de São Francisco de Assis estão dispostas a recebê-los. O local disse sim ao seu bichinho? Então é hora de conversar com a cerimonialista e, caso necessário, contratar um adestrador para preparar o animal.

“Primeiro, os noivos devem se perguntar se o animal se sentirá à vontade na situação e se estão dispostos a preparar o pet para o casamento”, diz Bruna Menezes, adestradora do Tudo de Cão.

“Garantir o bem estar do animal e dos convidados é super importante. Um animal mais tranquilo e sociável já estará um passo à frente”, completa. Por isso, além do adestramento para acostumar o animal a situações de muito estresse, com muita gente e barulho, também é essencial que o bichinho esteja com as vacinas em dia para evitar a transmissão de doenças. 

Gatos e outros animais também podem participar

É fã de gatos? Boas notícias: o bichano também pode ser destaque na cerimônia! “É importante que o gato seja bem socializado e que tenha adestramento básico”, explica Tiago Mesquita, adestrador da Cão Cidadão.

“Mas, diferente dos cães que podem entrar sozinhos em alguns casos, o gato deverá entrar sempre junto com alguém”, explica o adestrador. A metodologia de treinamento, aliás, permite que mini porcos, aves e até furões também sejam adestrados. Já animais de grande porte, como cavalos, vacas e ovelhas podem participar das sessões de fotos e assim também ficarem eternizados nas memórias do casal.

Participação especial: pet na entrega das alianças

O animal de estimação pode participar da entrega das alianças de diferentes maneiras. Geralmente os bichinhos vão com aliança na coleira para garantir que a joia não caia no meio do caminho.

“Já treinei animais que entraram na coleira com uma daminha e sentavam quando chegasse na frente do noivo”, conta Bruna. “Outra vez o cachorro foi sozinho e, quando o noivo chamou, foi correndo feliz e pulou no colo dele com a aliança na coleira.” Enfim, tudo é questão de treino e planejamento.

alianc3a7as

Como escolher a roupinha do pet

Para que tudo ocorra sem imprevistos, o bichinho deve estar adaptado -inclusive ao uso de roupinha se vocês assim o querem-, seja ela um pequeno fraque ou apenas um lenço amarrado no pescoço.

“O animal precisa estar acostumado a utilização de roupinhas e já ter utilizado o traje da cerimônia em outras ocasiões. Isso evitará desconfortos durante o evento e uma possível mudança de comportamento”, explica Tiago. A regra vale se sua escolha for o uso de coroa de flores e/ou folhagens também.

Cuidados especiais no dia

Os cuidados com o pet também devem continuar durante a festa. “É importante ter um espaço reservado para alimentação e descanso do animal, evitar petiscos e comidas diferentes no dia anterior e, claro, no dia da cerimônia”, diz Tiago Mesquita. Para não sobrecarregar nenhum convidado, a adestradora Bruna Menezes aconselha a contratação de um profissional para cuidar especialmente das necessidades do animal. Assim, o bichinho estará seguro, longe de traumas e depois da festa só restarão as boas lembranças.

Por Revista Casei

Imprima Esta Postagem